.
.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Adorar a Deus no altar ou nos altos?

"Ezequias tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar, e reinou vinte e nove anos em Jerusalém. O nome de sua mãe era Abia, filha de Zacarias. Ele fez o que o Senhor aprova, tal como tinha feito Davi, seu predecessor. No primeiro mês do primeiro ano de seu reinado, ele reabriu as portas do templo do Senhor e as consertou. Convocou os sacerdotes e os levitas, reuniu-os na praça que fica no lado leste e disse: "Escutem-me, levitas! Consagrem-se agora e consagrem o templo do Senhor, o Deus dos seus antepassados. Retirem tudo o que é impuro do santuário." 
2 Crônicas 29:1-5 

Ao contrário do que é natural, Ezequias não seguiu o exemplo do seu pai. Ao contrário dele, Ezequias, predispôs o seu coração a buscar ao Senhor Deus de Israel. Decidiu restaurar o culto ao Deus dos seus antepassados, ao Deus de Jacob, Isaque e de Israel, conforme se encontrava escrito nas Sagradas Escrituras, retirando tudo o que era estranho ou de adoração pagã do templo, tudo o que era impuro foi retirado de dentro do templo do Senhor. 


"Nossos pais foram infiéis; fizeram o que o Senhor, o nosso Deus, reprova e o abandonaram. Desviaram o rosto do local da habitação do Senhor e deram-lhe as costas. Também fecharam as portas do pórtico e apagaram as lâmpadas. Não queimaram incenso nem apresentaram holocausto no santuário para o Deus de Israel." 
2 Crônicas 29:6-7 

"Meus filhos, não sejam negligentes agora, pois o Senhor os escolheu para estarem diante dele e o servirem, para ministrarem perante ele e queimarem incenso." 
2 Crônicas 29:11 

Ezequias admoestou o seu povo lembrando-lhes que Deus, a quem os seus pais tinham rejeitado, agora estava-lhes dando uma nova oportunidade de aproximação, que não deviam desperdiçar.


"Tendo reunido e consagrado os seus parentes, os levitas foram purificar o templo do Senhor, conforme o rei havia ordenado em obediência à palavra do Senhor. Os sacerdotes entraram no santuário do Senhor para purificá-lo e trouxeram para o pátio do templo do Senhor todas as coisas impuras que lá havia, e os levitas as levaram para o vale de Cedrom." 

2 Crônicas 29:15-16 

Tudo o que era impuro foi tirado do templo do Senhor e levado até ao vale de Cedrom. 
Esse vale separava o templo do monte das Oliveiras. O seu nome significa "escuro" ou vale da "escuridão, também chamado de vale dos cedros devido ao som da palavra no original em hebraico. Mas hoje chama-se de vale do rei Josafá e "vale do julgamento". 

Entre o templo do Senhor e o monte das Oliveiras, havia que atravessar o vale da escuridão. Jesus atravessou este vale para ir orar no monte das Oliveiras. Foi o local escolhido para lançar e queimar, por inúmeras vezes, os ídolos e tudo o que fora dedicado aos ídolos, em momentos de arrependimento do povo e nova aliança com Deus.



"Então o rei e todos os presentes ajoelharam-se e adoraram. O rei Ezequias e seus oficiais ordenaram aos levitas que louvassem o Senhor com as palavras de Davi e do vidente Asafe. Eles louvaram com alegria, depois inclinaram suas cabeças e adoraram. Disse então Ezequias: "Agora que vocês se dedicaram ao Senhor, tragam sacrifícios e ofertas de gratidão ao templo do Senhor". Assim, a comunidade levou sacrifícios e ofertas de gratidão, e alguns, espontaneamente, levaram também holocaustos." 
2 Crônicas 29:29-31 

"Ezequias e todo o povo regozijavam-se com o que Deus havia feito por seu povo, e tudo em tão pouco tempo." 
2 Crônicas 29:36 

Após limpar toda a impureza do templo do Senhor, Ezequias ordenou de os levitas louvassem a Ele com hinos inspirados escritos pelo rei David e por Asafe. O louvor foi cantado com grande alegria e seguiu-se um momento de adoração, quando prostrados adoraram a Deus.
Ezequias exortou a congregação a oferecerem sacrifícios de louvor, ofertas de gratidão ao Senhor, e alguns, de livre vontade, até holocaustos trouxeram para que fossem oferecidos a Deus.
Tanto Ezequias como o povo viram que tinham feito aquilo que Deus aprovara pois, em muito pouco tempo, tantas coisas se fizera e com tão grande resultado - o templo fora completamente purificado em honra ao Senhor, os ministros e levitas novamente se purificaram e dedicaram inteiramente ao serviço para Deus, o culto ao Senhor se retomara e todo o povo estava a mostrar arrependimento e gratidão para com Deus, pela graça de uma nova aliança com Ele!


"Por ordem do rei, mensageiros percorreram Israel e Judá com cartas assinadas pelo rei e pelos seus oficiais, com a seguinte mensagem: "Israelitas, voltem para o Senhor, o Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para vocês que restaram e escaparam das mãos dos reis da Assíria." 

2 Crônicas 30:6

"Os mensageiros foram de cidade em cidade, em Efraim e em Manassés, e até em Zebulom, mas o povo zombou deles e os expôs ao ridículo. No entanto, alguns homens de Aser, de Manassés e de Zebulom humilharam-se e foram para Jerusalém. Já em Judá a mão de Deus esteve sobre o povo dando-lhes unidade de pensamento para executarem o que o rei e os seus oficiais haviam ordenado, conforme a palavra do Senhor." 
2 Crônicas 30:10-12 

"Eles retiraram os altares que havia em Jerusalém e se desfizeram de todos os altares de incenso, atirando-os no vale de Cedrom. Abateram o cordeiro da Páscoa no dia catorze do segundo mês. Os sacerdotes e os levitas, envergonhados, consagraram-se e levaram holocaustos ao templo do Senhor." 
2 Crônicas 30:14-15 

Ezequias não ficou satisfeito até que todo o povo ouvisse acerca do Deus verdadeiro e de como deveriam rejeitar os ídolos e voltarem-se unicamente para o Senhor Deus. Ele garantiu que também as outras cidades das outras tribos ouvissem e tivessem uma oportunidade de arrependimento e salvação. 
Ainda que nem todos se arrependeram, muitos deram ouvidos à Palavra do Senhor e, arrependidos e envergonhados, voltaram-se para Ele, derrubando os altares pagãos, atirando-os ao vale de Cedron e consagrando-se novamente ao serviço a Deus. 

Uma vez mais, a Palavra de Deus, pura e verdadeira, levou ao arrependimento do povo e dos líderes espirituais do povo de Deus, movendo-os a destruírem os seus falsos altares de adoração, a lançá-los no vale da escuridão e a se dedicarem novamente a ministrarem fielmente diante de Deus, ao povo do Senhor. 


"Quando a festa acabou, os israelitas saíram pelas cidades de Judá e despedaçaram as pedras sagradas e derrubaram os postes sagrados. Eles destruíram os altares idólatras em todo o Judá e Benjamim, e em Efraim e Manassés. Depois de destruírem tudo, voltaram para as suas cidades, cada um para a sua propriedade. Ezequias designou os sacerdotes e os levitas por turnos, cada um de acordo com os seus deveres, para apresentarem holocaustos e sacrifícios de comunhão, ministrarem, darem graças e cantarem louvores junto às portas da habitação do Senhor." 
2 Crônicas 31:1-2

"Assim que se divulgou essa ordem, os israelitas deram com generosidade o melhor do trigo, do vinho, do óleo, do mel e de tudo o que os campos produziam. Trouxeram o dízimo de tudo. Era uma grande quantidade." 

2 Crônicas 31:5

"Foi isso que Ezequias fez em todo o reino de Judá. Ele fez o que era bom e certo, e em tudo foi fiel diante do Senhor, do seu Deus. Em tudo o que ele empreendeu no serviço do templo de Deus e na obediência à lei e aos mandamentos, ele buscou o seu Deus e trabalhou de todo o coração; e por isso prosperou." 
2 Crônicas 31:20-21

Após nova aliança com o Senhor, o coração do povo estava novamente firmado em Deus. Por livre vontade, eles despedaçaram e derrubaram as pedras e os postes onde cultuavam, também todos os altares idólatras foram destruídos. Deus se agradou disso e abençoou-os, guardando-os do mal.


Foi instituído, a partir dali, um contínuo serviço ao Senhor, para que sempre houvesse:

- holocaustos e sacrifícios de comunhão - para a santificação do povo e para que Deus se agradasse e permanecesse em comunhão com eles
- ministração da Palavra de Deus - leitura das Escrituras Sagradas e ensino para a saúde e crescimento espiritual do povo
- graças e louvores ao Senhor - demonstração da gratidão do povo ao seu Senhor, ao continuamente adorarem a Ele


"Depois de tudo o que Ezequias fez com tanta fidelidade, Senaqueribe, rei da Assíria, invadiu Judá. Ele sitiou as cidades fortificadas para conquistá-las." 
2 Crônicas 32:1 

"Nomeou sobre o povo oficiais militares e os reuniu na praça, junto à porta da cidade, animando-os com estas palavras:"Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem se desanimem por causa do rei da Assíria e do enorme exército que está com ele, pois conosco está um poder maior do que o que está com ele. Com ele está somente o poder humano, mas conosco está o Senhor, o nosso Deus, para nos ajudar e para travar as nossas batalhas". E o povo ganhou confiança com o que disse Ezequias, rei de Judá." 

2 Crônicas 32:6-8 

Após ver, diante dos seus olhos, o poder de Deus em acção despertando e purificando o povo de uma forma tão tremenda e rápida, sendo fiel à Sua Palavra, Ezequiel vê-se diante de um teste repentino. Mas ele foi fiel ao Senhor, mais uma vez, confiando no Deus que tudo pode fazer e, para O qual, não há impossíveis ou dificuldades, dando ânimo e forças ao seu povo.


"Assim diz Senaqueribe, rei da Assíria: Em que vocês baseiam a sua confiança, para permanecerem cercados em Jerusalém? Quando Ezequias diz: ‘O Senhor, o nosso Deus, nos salvará das mãos do rei da Assíria’, ele os está enganando, para deixá-los morrer de fome e de sede. Mas não foi o próprio Ezequias que retirou os altares desse deus, dizendo a Judá e a Jerusalém: ‘Vocês devem adorar diante de um só altar e sobre ele queimar incenso’?" 
2 Crônicas 32:10-12 

Deus permitiu, para provar Ezequias, que o rei da Assíria enviasse tropas a falar contra ele ao seu povo. 
Os soldados do inimigo (aqueles que o diabo usa) usaram de artimanha nas suas palavras, atacando Ezequias por ter acabado com todos os altares que o povo antes tinham, para passarem a cultuar a Deus de um mesmo modo e num único altar e apenas nesse altar adorá-l'O! 
Isto mostra-nos que, nem todos os altares que o povo tinha edificado durante o reino do pai de Ezequias eram a deuses pagãos, mas muitos eram altares pagãos dirigidos ao Deus verdadeiro. E o inimigo não se agradou da destruição dos falsos altares, desses lugares altos! 


"Vocês não sabem o que eu e os meus antepassados fizemos a todos os povos das outras terras? Acaso alguma vez os deuses daquelas nações conseguiram livrar das minhas mãos a terra deles? De todos os deuses das nações que os meus antepassados destruíram, qual deles conseguiu salvar o seu povo de mim? Como então o deus de vocês poderá livrá-los das minhas mãos?" 
2 Crônicas 32:13-14 

"Portanto, não deixem Ezequias enganá-los ou iludi-los dessa maneira. Não acreditem nele, pois nenhum deus de qualquer nação ou reino jamais conseguiu livrar o seu povo das minhas mãos ou das mãos de meus antepassados. Muito menos o deus de vocês conseguirá livrá-los das minhas mãos!" Os oficiais de Senaqueribe desafiaram ainda mais a Deus, ao Senhor, e ao seu servo Ezequias. Senaqueribe também escreveu cartas insultando o Senhor, o Deus de Israel, e o desafiando: "Assim como os deuses dos povos das outras terras não livraram o povo deles das minhas mãos, também o deus de Ezequias não livrará o seu povo das minhas mãos". Então os oficiais gritaram na língua dos judeus ao povo de Jerusalém que estava sobre o muro, para assustá-lo e amedrontá-lo, com o intuito de conquistarem a cidade. Referiram-se ao Deus de Jerusalém como falavam dos deuses dos outros povos da terra, que não passam de obra das mãos dos homens." 
2 Crônicas 32:15-19 

Não fora bastante tentarem destruir a reputação de Ezequias, colocando em causa a sua integridade, compararam o Deus de Israel aos falsos deuses feitos por mãos humanas, a quem os povos pagãos serviam. O inimigo sabia que colocando dúvidas no coração do povo contra Ezequias, era a única forma de tentar abrir brecha na muralha da confiança e fé em Deus todo-Poderoso, para depois os minar e destruir. 


Tentaram difamar Ezequias e destruir a confiança do povo em Deus de vários modos:

- através de comunicados que procuravam colocar em dúvida a fidelidade de Ezequias a Deus,
- enviando cartas com ameaças que questionavam o poder de Deus,
- gritando para dentro das muralhas na língua dos próprios judeus para abalar a fé do povo em Deus.


"Por tudo isso o rei Ezequias e o profeta Isaías, filho de Amoz, clamaram em oração aos céus. E o Senhor enviou um anjo, que matou todos os homens de combate e todos os líderes e oficiais no acampamento do rei assírio, de forma que este se retirou envergonhado para a sua terra. E certo dia, ao adentrar o templo do seu deus, alguns dos seus filhos o mataram à espada." 

2 Crônicas 32:20-21 

A confiança e intercessão de um líder no Deus de Israel, no Único, Verdadeiro e Poderoso Deus, mudaram uma inteira nação, levando-a aos pés do Senhor. A sua integridade e fidelidade a Deus, levou que Deus mudasse as circunstâncias que Ele mesmo permitira, de uma aparente eminente destruição do Seu povo, em vitória completa. 
Ao clamar, juntamente com o profeta Isaías, Deus respondeu e venceu o inimigo por eles, envergonhando o rei assírio, matando todos os homens do seu exército e destruindo o próprio rei no templo do seu falso deus, onde os seus próprios filhos o mataram. 



“Cântico dos degraus, de Salomão. SE o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.”
Salmo 127:1-2 

Vale a pena ouvirmos a admoestação do Senhor e consertarmos as portas do templo e as reabrirmos:

- Nós somos o templo do Espírito Santo, e as portas do templo precisam estar consertadas e abertas para que sejamos sal e luz onde quer que nos encontrarmos - exercendo boa influência e mostrando o caminho da Salvação aos que nos rodeiam.

Vale a pena retirar tudo o que é impuro do santuário do Senhor:

- O nosso coração é o templo onde Deus é adorado, e nesse santuário não podem co-existir com Deus altares a ídolos pagãos, práticas e utensílios contrárias à Sua vontade expressa nas Escrituras Sagradas - buscando em humildade e submissão a Sua vontade, procurando agradar-lh'E com tudo o que fazemos, com nossas escolhas e pensamentos.

Vale a pena purificar, não apenas o templo, mas toda a nossa casa para Deus:

- Quando a Palavra de Deus toca o nosso coração, ela não apenas limpa a nossa mente, mas também instiga-nos a purificar toda o nosso corpo, a nossa casa, de forma a livrar-nos de tudo o que seja de origem ou de influência mundana e não agrade a Deus - assim como tudo o que era impuro em Jerusalém também foi lançado no vale da escuridão, assim devemos nós também fazer, e a nossa aparência mudará para louvor e em honra ao Senhor, nosso Deus.

Vale a pena re-acender as nossas lâmpadas e ministrar diante de Deus:

- A nossa vida deve ser uma luz no meio das trevas, mostrando aos outros que Deus está em nós, através das nossas acções, atitudes e exemplo, toda ela deve ser um contínuo louvor ao Senhor - na demonstração de fé e confiança em Deus nos momentos difíceis e, na gratidão e humildade para com Ele nos momentos de abastança e refrigério.

Vale a pena consagrarmos a nossa vida a Deus e queimar-mos-lh'E incenso:

- Deus não nos quer partilhar com mais ninguém, pois não podemos servir bem a dois senhores, Ele requer a nossa exclusividade. Para que a nossa oração e o nosso louvor seja aceite por Ele, precisamos realmente ser d'Ele e viver totalmente para lh'E agradar e servir - afastando-nos do mal e da aparência do mal, lendo e estudando a Sua Palavra diariamente, cultivando uma vida de oração e intercessão constantes, negando o mundo e tudo o que do mundo é e, buscando fazer toda a Sua vontade na nossa vida.


É tempo de ouvirmos a voz de Deus e derrubarmos os lugares altos do nosso coração!

Vamos abandonar a pregação do sucesso, da reivindicação, de declarar que Deus tem de nos abençoar com riquezas materiais. Vamos deixar de exigir e de nos apossar do que é "nosso por direito" e de buscarmos o sucesso segundo os padrões do mundo.

A igreja não é uma empresa que tem que ser "bem-sucedida"segundo o mundo. Jesus é O cabeça da igreja e nós somos d'Ele! Vender-se ao "espírito mercadológico" do nosso tempo, é vender a alma, abandonando os princípios e os valores da Palavra de Deus que, para um cristão, são inegociáveis.


A nós basta-nos limpar o nosso templo:

- de tudo o que os ventos de falsas doutrinas têm trazido até nós (voltando à Palavra pura e simples),
- de todas as práticas pagãs que a sedução do mundo nos tem vendido (louvor centrado no homem),
- de todo o espírito do anticristo que já reina entre nós (buscando o temor do Senhor novamente).


Devemo-nos perguntar se, ao que toca a pregação da Palavra e no louvor, estamos verdadeiramente adorando a Deus, ou estamos seguindo vultos humanos, escritos de homens carnais e filosofias contrárias ao próprio Deus da eternidade. Será que os livros nos quais a experiência de louvor actual assenta, com todas as suas formulas e técnicas de puxar pela emoção na comunidade, foram escritos baseados na real aplicação dos princípios bíblicos ou são uma mera reformulação do espírito deste século (humanismo).


Nem tudo aquilo que parece funcionar é bom e agradável ao Senhor, nosso Deus. E muitos "lugares altos" têm sido construídos no nosso coração e nos nossos templos, fazendo com que Deus seja colocado de lado e, contrariamente do que muito se diz e canta, não esteja no centro da vida do crente actual, do louvor congregacional, nem das actuais principais congregações cristãs.

Temos consciência que o nosso culto actual é mais centrado no homem, do que em Deus.
A preocupação na realização do culto está centrada na forma como nos sentimos durante o louvor, se nos emocionamos, se sentimos "algo" ao cantarmos em conjunto, se nos faz "vibrar", se agrada aos não-crentes, se não é demasiado aborrecido ou longo, se não há crianças a incomodar, se a luz, a temperatura, os bancos, o som proporciona uma experiência agradável aos que entram pelas portas...
...e não tanto, se agradamos a Deus com o nosso culto, se O exaltamos dignamente e correctamente e, principalmente, se é realizado segundo a Sua vontade e é aceite por Ele!

Não tanto o estilo mas a substância do louvor deve ser a nossa preocupação.


Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” 
I João 2:15-17 

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:2 

“A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.” 
Tiago 1:27 


Não nos deixemos enganar pela aparente benção de Deus na congregação. Não nos esqueçamos que Deus abençoou Ezequias pela sua fidelidade. Mas, para que fosse preservado da influência do mal, sempre o provou. De forma tal que, ainda que se tenha orgulhado como consequência de todas as riquezas que recebeu, e provocado o Senhor à ira, Deus levou-o a humilhar-se novamente, reconhecendo o seu orgulho e buscando a misericórdia e livramento do Senhor.

"Muitos levaram a Jerusalém ofertas para o Senhor e presentes valiosos para Ezequias, rei de Judá. Daquela ocasião em diante ele foi muito respeitado por todas as nações. Naquele tempo Ezequias ficou doente, e quase morreu. Ele orou ao Senhor, que lhe respondeu dando-lhe um sinal miraculoso. Mas Ezequias tornou-se orgulhoso, e não correspondeu à bondade com que foi tratado; por isso a ira do Senhor veio sobre ele, sobre Judá e sobre Jerusalém. Então Ezequias humilhou-se reconhecendo o seu orgulho, como também o povo de Jerusalém; por isso a ira do Senhor não veio sobre eles durante o reinado de Ezequias." 
2 Crônicas 32:23-26 

"Foi Ezequias que bloqueou o manancial superior da fonte de Giom e, canalizou a água para a parte oeste da cidade de Davi. Ele foi bem sucedido em tudo o que se propôs a fazer. Mas, quando os governantes da Babilônia enviaram uma delegação para perguntar-lhe acerca do sinal miraculoso que havia ocorrido no país, Deus o deixou, para prová-lo e para saber tudo o que havia em seu coração." 
2 Crônicas 32:30-31 


Vamos buscar e louvar a Deus da forma como Ele quer ser adorado, não imitando o mundo nos seus rituais pagãos, mas buscando-O em humildade e submissão, restringindo-nos à Sua Palavra e à simplicidade do evangelho da Salvação, para que a Sua igreja seja mantida, alimentada, santificada e edificada na Sua Palavra, feita realmente útil para a salvação do mundo perdido e não se deixando perder neste mundo.

“Ora estes (os bereanos) foram mais nobres do que os que estavam em Tessalónica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” 
Atos 17:11 

“Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs subtilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não seguindo Cristo.”
Colossenses 2:8 




Que não continuemos procurando as honras dos homens, procurando a nossa própria glória, mas a glória e a honra de Deus, para que não tenhamos apenas aparência de quem vive, mas vivamos verdadeiramente na vontade de Deus.






Deus vos abençoe. 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Amar Deus por Quem É, não pelo que dá

"Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordelSobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina, Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam? Ou quem encerrou o mar com portas, quando este rompeu e saiu da madre; Quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a escuridão por faixa? Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos, E disse: Até aqui virás, e não mais adiante, e aqui se parará o orgulho das tuas ondas? Ou desde os teus dias deste ordem à madrugada, ou mostraste à alva o seu lugar;" 
Jó 38:4-12 



Deus criou todo o universo e tudo o que nele há. Deus fê-lo tão imensamente grande que nos é impossível imaginar o seu tamanho, em toda a sua extensão. No entanto, Deus é infinitamente maior que todo o universo e tudo o que nele Ele formou.
Mas Deus é bem maior que tudo o que Ele criou: o universo, com todas as galáxias, planetas, estrelas, a Terra com os seus animais e plantas, e a nós - o homem. Ele é soberano, está presente, controla e segura todas as coisas, intervindo sobre elas quando bem entender. 


"Quem mediu na concha da sua mão as águas, e tomou a medida dos céus aos palmos, e recolheu numa medida o pó da terra e pesou os montes com peso e os outeiros em balanças? Quem guiou o Espírito do Senhor, ou como seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou ele conselho, que lhe desse entendimento, e lhe ensinasse o caminho do juízo, e lhe ensinasse conhecimento, e lhe mostrasse o caminho do entendimento?" 
Isaías 40:12-14 

"Quem numerará as nuvens com sabedoria? Ou os odres dos céus, quem os esvaziará, Quando se funde o pó numa massa, e se apegam os torrões uns aos outros? Porventura caçarás tu presa para a leoa, ou saciarás a fome dos filhos dos leões, Quando se agacham nos covis, e estão à espreita nas covas? Quem prepara aos corvos o seu alimento, quando os seus filhotes gritam a Deus e andam vagueando, por não terem o que comer?" 
Jó 38:37-41 



Deus mantém e sustém tudo quanto existe, mas também permite que a "normalidade" das coisas seja abalada, para que assim possa agir sobre a vida dos crentes e dos descrentes, dos que crêem n'Ele, mas também dos que não O amam.

"E ouvirão a tua voz; e irás, tu com os anciãos de Israel, ao rei do Egito, e dir-lhe-eis: O Senhor Deus dos hebreus nos encontrou. Agora, pois, deixa-nos ir caminho de três dias para o deserto, para que sacrifiquemos ao Senhor nosso Deus. Eu sei, porém, que o rei do Egito não vos deixará ir, nem ainda por uma mão forte. Porque eu estenderei a minha mão, e ferirei ao Egito com todas as minhas maravilhas que farei no meio dele; depois vos deixará ir. E eu darei graça a este povo aos olhos dos egípcios; e acontecerá que, quando sairdes, não saireis vazios..." 
Êxodo 3:18-21 



Conhecendo de antemão que o faraó não deixaria o Seu povo sair para O adorar, aquando do seu cativeiro no Egipto, Deus endureceu o coração do faraó para que assim pudesse mostrar O Seu poder perante todos e O Seu nome fosse conhecido e temido pelas nações.


Sabemos que à Sua ordem:

- A água do rio Nilo, dos canais e reservatórios transforma-se em sangue - os peixes morrem, o rio cheira mal e não podiam beber água dele. Fizeram então covas nas margens do rio para puderem beber.

- Do rio saem rãs que cobrem toda a terra do Egito de forma que nas suas casas, até os fornos e as bacias de amassar o pão, ficam completamente inundados de rãs.

- O pó da terra do Egito transforma-se em piolhos que cobrem tanto as pessoas, como os animais.

- Surgem enxames de moscas que enchem o palácio do rei, as casas dos seus funcionários e o povo egípcio, causando grande estrago por todo o Egipto.

- Os animais dos egípcios adoecem e morrem.

- Tumores que rebentavam em úlceras na pele dos egípcios e seus animais.

- Uma chuva de pedra mata todos os animais e pessoas que não estivessem abrigados em casa.

- De noite, o vento de leste traz quantidades enormes de gafanhotos que consomem toda a vegetação e frutos nas árvores restantes.

- Uma escuridão tão densa que luz alguma se fazia ver, cai durante três dias sobre a terra do Egipto.

- À meia-noite, o anjo do Senhor matou todos os primogénitos dos egípcios e dos seus animais.


Deus castigou muito os egípcios para que O Seu nome fosse exaltado, engrandecido e colocado acima de todos os falsos deuses que estes adoravam. Ele fê-lo também para que respeitassem o povo de Israel, o deixassem ir e o abençoassem com muitas riquezas materiais.


Mas Deus não intervém apenas sobre os ímpios. Ele também permite que o Seu povo seja corrigido e provado para que se arrependam dos seus maus caminhos e se voltem para Ele.

"E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não." 
Deuteronómio 8:2 




Deus permite também que o crente fiel seja provado, não para nos castigar, mas para que, através do nosso sofrimento, possamos exercitar a nossa fé, e possamos aprender a confiar e a depender inteiramente de Deus, trazendo honra e glória ao Seu bendito Nome.


O Senhor permitiu que Jó fosse fustigado de imprevisto, pois sabia que era um homem íntegro, reto e temente a Deus, como outro não se achava em toda a Terra.



Ele permitiu esta longa e dolorosa provação repentina, para que:


- Jó ainda O conhecesse melhor e se aproximasse mais ainda d'Ele.

- Mas também, para que a sua esposa e os seus amigos compreendessem verdadeiramente o carácter de Deus.

- E ainda, para provar ao próprio diabo que é possível a Deus encontrar um homem que O ame mais que às riquezas materiais, mais que aos seus filhos, à sua esposa, e mesmo, mais até que à sua própria saúde e vida.


Os amigos de Jó logo foram visitá-lo com o propósito de consolá-lo e realmente ficaram condoídos por ele quando levantando de longe os olhos nem o conseguirem reconhecer, então ergueram a voz e choraram por ele. Ficaram juntos com Jó em silêncio por sete longos dias, mas depois em vez de o consolar, condenaram-no. Jó estava sozinho, até a sua mulher se tinha voltado contra ele. 

Jó disse estar inocente diante de Deus, e os seus amigos julgaram-no erradamente e condenaram-no cruelmente, dizendo-lhe que ele era:


- Tolo - pois não temia ao Senhor
Jó 28:28

- Mau - pois Deus castigava apenas os maus
Jó 27:13-26

- Pecador - pois a doença era consequência do pecado
Jó 34:6-7

- Merecedor - pois o mal que recebera era consequência dos seus actos
Jó 34:11/36:17

- Falso - pois fingia ser justo, mas zombava de Deus
Jó 34:37/36:21

- Ladrão - perdeu tudo porque roubava das viúvas
(Jó 34:25-26/35:15/36:7-9)

- Incompassivo - perdeu os filhos porque desprezava os pobres e os órfãos
(Jó 20:19)

- Orgulhoso - pois não admitia o seu pecado, logo era arrogante
Jó 35:12/36:13



Na teologia legalista dos amigos de Jó, o crente:

- não sofre perdas, - pois Deus protege os seus ungidos
- é próspero financeiramente, - pois Deus abençoa os justos
- não adoece, - pois temos vitória sobre as doenças
- é considerado, - pois tem uma condição social elevada
- tem uma boa vida, - pois vive em festa e felicidade
- tem fartura de tudo, - pois nunca sofre privações
- é exaltado, - pois todos o têm em honra 


Mediante tanto sofrimento Jó questionou Deus a razão pela qual estava passando por tão grande provação, sendo ele íntegro e justo diante d'Ele. Ele chegou mesmo a desejar morrer ou nunca sequer ter nascido...
Mas Deus respondeu a Jó:

Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordelSobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina, Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam? Ou quem encerrou o mar com portas, quando este rompeu e saiu da madre; Quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a escuridão por faixa? Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos, E disse: Até aqui virás, e não mais adiante, e aqui se parará o orgulho das tuas ondas? Ou desde os teus dias deste ordem à madrugada, ou mostraste à alva o seu lugar;" 
Jó 38:4-12 


"Então respondeu Jó ao SENHOR, dizendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia. Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás. Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza." 
Jó 42:1-6 


Jó agora entendeu:

- que nada podemos exigir de Deus, nem o bem-estar, saúde, prosperidade ou proteção,

- que aqui na Terra teremos aflições, ainda que sejamos fiéis ao Senhor,

- nada nos acontece sem que Deus o permita, pois tudo está nas Suas poderosas mãos,

- que tudo o que aqui ajuntamos e desfrutamos é apenas pela Sua misericórdia e graça, e não porque o mereçamos.



Jó agora compreendeu que Deus é realmente Todo-poderoso, que mesmo nada lh'E é impossível!
Que tudo Ele pode fazer! Que Ele é Deus que tira e torna a dar, que abate e que exalta!
E que os Seus planos e pensamentos são bem mais altos do que o homem poderá jamais alcançar!


Ele agora entendeu o quão tolo foi ao pôr em causa os planos de Deus, questionando a sabedoria do Senhor, por tê-lo afligido daquele modo.

Ele agora entendeu que o homem é ignorante acerca de Deus e que não conseguimos alcançar os Seus pensamentos, nem compreender o Seu modo de agir, mas que Deus em tudo Ele é perfeito e tudo faz com uma razão de ser e com um propósito mais elevado.

Ele agora entendeu que há momentos em que nos devemos calar, mesmo sem entender, não reclamar, mas esperar em Deus, até que possamos ouvir a Sua voz que vem nos consolar e ver a operação das Suas mãos, em nosso favor.



"Sucedeu que, acabando o Senhor de falar a Jó aquelas palavras, o Senhor disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos, porque não falastes de mim o que era reto, como o meu servo Jó. Tomai, pois, sete bezerros e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós, e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó. Então foram Elifaz, o temanita, e Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, e fizeram como o Senhor lhes dissera; e o Senhor aceitou a face de Jó. E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía." 
Jó 42:7-10 

Os amigos de Jó tiveram de reconhecer que Jó estava inocente diante de Deus, tiveram de arrepender-se de o terem julgado erradamente perante Deus e, esperar que Jó orasse intercedendo por eles, para que não fossem castigados pelo seus actos. 

A sua teologia mudou. Agora, eles entenderam que a felicidade, prosperidade, saúde e o bem-estar não são a razão pela qual seguimos ao Senhor, mas porque Ele é Deus e, apenas Ele é merecedor de toda a nossa gratidão e adoração.



"Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o Senhor lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro. E assim abençoou o Senhor o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas." 
Jó 42:11-12

"E depois disto viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos, e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração. Então morreu Jó, velho e farto de dias." 
Jó 42:16-17 


Deus honrou o Seu servo Jó pela sua fidelidade e retidão, por ter preferido Deus às riquezas materiais, à sua condição social, aos seus filhos, à sua mulher, ao seu bem-estar, à sua saúde e, até mesmo, à sua própria vida, dando-lhe:

- a consideração e o consolo da sua família e amigos,

- prosperidade material em dobro,

- mais filhos e as filhas mais belas que alguma vez já tinham nascido e

- restaurando-lhe a saúde e dando-lhe uma vida muito longa e feliz.




Nada deste mundo é realmente digno do nosso esforço, apenas Deus é merecedor da nossa total entrega. Não busquemos os tesouros terrenos, mas os do Céu! 

"Eis que fizeste os meus dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti; na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. (Selá.) Na verdade, todo homem anda numa vã aparência; na verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas, e não sabem quem as levará. Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.
Salmos 39:5-7 



Mesmo na mais difícil situação vamos continuar a desejar estar na Sua presença, buscando a Sua face, para que, esperando em Deus, não desanimemos mas confiemos n'Aquele que tudo criou, que nos formou, que nos salvou e nos mantêm! 

"Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!
A
minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus? As minhas lágrimas servem-me de mantimento de dia e de noite, enquanto me dizem constantemente: Onde está o teu Deus? Quando me lembro disto, dentro de mim derramo a minha alma; pois eu havia ido com a multidão. Fui com eles à casa de Deus, com voz de alegria e louvor, com a multidão que festejava. Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face." 

Salmos 42:1-5 



Será que a nossa felicidade, a nossa prosperidade material, a nossa saúde e o nosso bem-estar são a prioridade na nossa vida? Será que se assim Deus não agir conosco, não O vamos amar

Como nos negaremos a nós mesmos, consideraremos os outros superiores a nós e sentiremos compaixão pelos perdidos e pelos que sofrem...  se o nosso bem-estar é a prioridade na nossa vida?

Não podemos esquecer o principal mandamento de Deus!

"E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes." 
Marcos 12:29-31 



Vamos buscar a Sua face, ler a Sua Palavra e orar pelo Seu povo, para que sejamos úteis ao nosso Deus e, antes que seja tarde, muitos ainda sejam salvos. 

"
Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. Porque ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios. Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação. Esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó. (Selá.) Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó entradas eternas, e entrará o Rei da Glória. Quem é este Rei da Glória? O Senhor forte e poderoso, o Senhor poderoso na guerra." 

Salmos 24:1-8 



Quão maravilhoso e poderoso é O nosso Deus! Somente Ele merece toda a honra. Vamos entregar toda a nossa vida a Ele!

"
Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de DeusQuão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisasglória, pois, a ele eternamente. Amém." 

Romanos 11:33-36 





Deus continua procurando aqueles que O adoram em Espírito e em Verdade. Os que o amam acima da sua própria vida e tudo o que no mundo há. Que nós possamos ser encontrados por Deus agindo assim. 

"...os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem." 
João 4:23 




Deus vos abençoe. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...